Vida a dois

“Foi a primeira vez que dormi com a TV desligada”. O amor exige concessões meus amigos, é impossível seguir com a vida que você tinha quando a sua linha temporal cruza com a de outra pessoa. Logo no primeiro “Oi” alguém teve que ceder, alguém teve que abrir mão do orgulho pra começar um diálogo.

Desde que eu comecei aprender um pouco mais sobre a vida a dois eu já aprendi dormir junto – a cama de casal sempre foi inteira pra mim, hoje é nossa. Ela aprendeu a dormir no escuro. Eu aprendi dirigir um carro de outra pessoa, carregar as compras, abrir a porta, pensar antes de falar. Ela aprendeu a ceder, tomar banho junto, comprar peito de frango porque eu não como a coxa. Comer menos fritura, dividir o refrigerante, maneirar na bebida.

Há algum tempo vejo amigos aprendendo a ser dois e o tempo todo enxergo concessões, umas mais belas que as outras. Uma amiga aprendeu dormir com a TV desligada, um amigo aprendeu a esperar a namorada se arrumar, o outro diminuiu o futebol pra ver um pouco de filme água com açúcar. Alguém ainda aprendeu a frequentar umas festas diferentinhas, o outro a beber menos, um ainda descobriu um gosto peculiar por viagens em família.

A vida a dois não é fácil, mas propõe melhoras consideráveis que a vida boemia não dava conta de prover. Ser solteiro é infinitamente mais fácil, mais seguro. Você pode jogar video game com moletom rasgado, pode ficar um dia todo sem banho e sem sair da cama. Mas você realmente quer acordar longe do sorriso dessa pessoa que faz sua segunda-feira se contorcer de inveja do sábado?

A vida é feita de escolhas.

[J.S.]

Comments

comments