Insistentes no amor – Lições de Ted Mosby

*Se você curte How I Met Your Mother, esse texto está lotado de spoilers

A vida é cíclica. E nada acontece antes ou depois do que realmente deveria acontecer. Você pode ser o Ted Mosby das tentativas amorosas, pode achar que já foi em todos os lugares certos com as pessoas erradas. Que gastou seu número de faróis. Pode estar exausto de procurar por alguém que além de aceitar suas esquisitices, também goste um pouco delas. Se você não permitir que as portas anteriores se fechem, se você não deixar a vida seguir e deixar seu balão voar, você nunca vai ter a chance de conhecer essa pessoa.

Eu fico me perguntando o que teria acontecido se o Ted não tivesse dito “Oi” naquela estação de trem. Se ele tivesse aceitado ficar com qualquer outra e tivesse ido ao casamento com essa outra. Se ele simplesmente tivesse voltado de carro ou ainda se pensasse algo como “não, chega, já gastei minhas tentativas. Vou dar um tempo pro amor.”

= ELE TERIA PERDIDO O GRANDE AMOR DA SUA VIDA.

Eu sei que nem todo mundo tem a sorte de ter bons relacionamentos desde o início da vida. Algumas pessoas precisam de nove ou mais temporadas de tentativas, para então encontrar a The One. Aquela que vai ter coragem de ficar contigo, que vai pegar sua mão e te pedir pra contar mais uma história. A que vai achar sua coleção de moedas uma coisa incrível e que vai valorizar seu lado detetive. Mas você precisa fechar as portas que não te servem mais, fechar e seguir em frente. E mesmo doendo lembre-se “é sempre mais escuro antes do amanhecer”.

“Porque crianças, quando uma porta se fecha… Bem… Vocês sabem o resto…”

Porque talvez, nesse momento, tenha alguém numa cabine dizendo:

“A ticket to Farhampton, please”.

 

[L.M.]

How i met your mother – referências episódio 7×17

Comments

comments