Status: Reaprendendo (tudo outra vez)

Você me perguntou como era meu mundo, e eu te contei histórias sobre como é quando a gente sabe voar. Me perguntou se alguém poderia sofrer assim, e eu te falei sobre a dor que é ser diferente em um mundo com tanta gente igual. Você andou um centímetro por dia pra dentro de mim, e eu que sempre fui totalmente armado, não percebi que aos poucos você me abria o peito pra tudo o que estaria ali logo adiante.

Seus questionamentos, sua voz de curiosidade e o sorriso que me fazia gargalhar, Deus como eu não percebi o que estava acontecendo? A cada nova história eu abria uma brecha cada vez maior dentro de mim. Remexia em um passado que eu não queria me lembrar e me dava conta de tudo o que havia passado. De que agora tudo é apenas  lembrança.

Só aos poucos, sem que eu me desse conta, você se tornou uma história também. E agora, eu que sempre preferi falar de tristeza, raiva e rejeição, estou tentando aprender a falar de carinho, doçura e paixão. [ Com direito a rimas bregas e até refrão]

Não vou dizer que isso seja totalmente novo, mas não é recente e me assusta. Os próximos passos, nossos próximos momentos. A xícara de chá quente que eu passei a segurar no momento que a gente se beijou. Sei que posso espirrar, derrubar tudo e queimar a nós dois, sei que posso tropeçar e te levar comigo.

Mas nesse momento, pelo menos por esse momento, eu quero acreditar que sou o cara certo pra merecer essa sensação. E que você é a garota que está no lugar certo, na hora certa e que sentou na minha frente exatamente quando deveria.

Logo eu que jurei não me permitir mais, baixei a guarda, a imunidade e me infectei.

 

[ J.S.]

Comments

comments