Sou virginiana, fazer o quê?

Meus pais passaram o Réveillon namorando, e eu nasci nove meses depois. Até aí tudo bem ser uma consequência de ano novo. O problema maior que milhões de pessoas e eu enfrentamos é – parafraseando Ney Mato Grosso – ‘na barriga da miséria eu nasci virginiano’.

Agosto – setembro. O mês do cachorro louco ou o começo da primavera. Tanto faz. A gente transita entre a raiva e as flores, em segundos, como nenhum outro signo é capaz. Até por isso já fomos chamados de “bipolar” ou até mesmo “tripolar”. É um charme, só que não.

Os astrólogos e aspirantes a especialistas relacionada à posição das estrelas, do Sol e da Lua no momento do nosso nascimento, são mestres em definir os virginianos como: Detalhistas, perfeccionistas, polidos, céticos, chatos, etc.

Posso entregar o jogo e jogar tudo no ventilador? Esse desabafo vai pra quem é e pra quem convive com seres como nós. Então toma:

Virginianos são detalhistas sim. Eles vão reparar no seu jeito de falar, no seu jeito de mexer com as mãos enquanto conta uma história, ou na forma como o canto direito do seu lábio se curva ao dar uma micro risada de uma piada quase sem graça. Mas isso tudo serão detalhes apenas. Enxergar tudo isso não vai fazer um virginiano gostar mais ou menos de você. Porque nós somos feitos de paixão.

Já dizia a virginiana Ana Carolina “porque eu sou feita de amor da cabeça aos pés, e não faço outra coisa do que me doar”. E é exatamente o que faz o virginiano. Somos doadores natos de tudo o que for possível doar. Atenção, carinho, tempo, dinheiro, a roupa do corpo.

Uma parte de nós é sim organizado, certinho e um bom partido. E sorte a sua se encontrar essa pessoa por aí.

Mas tem uma parcela de nós – talvez uma grande parcela – que não tem nada de organizado. Nem de certinho. E está longe de ser um bom partido. Somos (porque eu me incluo nessa parte) uma fatia imprópria da sociedade. Somos impulsivos, tempestuosos, quentes, e pensamos demais. Quando eu digo DEMAIS, não é que a gente pensa bastante, é que a gente pensa tanto que tem micro infartos a cada 5 segundos para cada pensamento e pensa tanto que surta. *(essa parte de pensar eu acho que vale para os dois clãs).

Virginianos são objetivos sim. Eles gostam de resumos e não de enrolação. Mas dificilmente conseguem agir assim. A menos que o assunto não seja com eles.

Virginianos não são orgulhosos, volto a dizer, somos feitos de paixão. E é muito comum ver um virginiano entediado, pois tudo parece muito raso e nós sabemos que é possível ser/fazer muito mais do que o momento está proporcionando.

Virginianos detestam gente que não sabe o que quer, indecisa ou pior mentirosa. E nesse ponto somos péssimos mentirosos também. Mas se você cruzar o caminho de um virginiano que minta bem, acredite – ele já toma aquela mentira como verdade absoluta!

Não vou me prolongar, virginianos não tem paciência pra ler tanta coisa assim. Mas se você chegou até aqui e concorda, faz aquele favor? Compartilha isso, porque virginianos de todo o planeta merecem ser exorcizados do posto de “certinhos” e assim ocupar um lugar mais “normal” do zodíaco.


[ L.M. ]

Comments

comments