Somos todos babacas! Em defesa do nosso lado negro

Hoje li um texto muito bonito de um cara que falava sobre amor, sobre amar, sobre tratar bem uma mulher. E um dos comentários mais hilários do texto dizia “como você fala de amor se você não presta?”.

O mais legal é que essa situação complementa um outro texto [que também li hoje] que fala da presença de pessoas babacas na nossa vida. Basicamente é o ser que vem, não dá valor e nos deixa sem chão quando se vai. Mas que quando a gente se cura, o bicho pega e nos tornamos muito mais fortes e seguros.

Hora de defender os babacas e os “que não prestam”.

Não há como passar por essa vida, nos dias de hoje, e não se envolver em pelo menos uma porção de relações. Salvo exceções [ casos raros de seres que se unem à primeira(o) namorada(o) ] acho que não dá pra chegar aos 30 anos sem ter decepções e sem se decepcionar.

Sejamos racionais: A grande maioria que já teve uma #relação machucada por um otário, em algum momento na vida, já foi o otário de outrem! Não dá pra amar todo mundo que cruza nosso caminho, não dá pra ser legal o tempo todo.

Antes que flechas com pontas envenenadas sejam atiradas via msgs nesse post, vale ressaltar que as palavras aqui vomitadas não são um “mea culpa”, e muito menos um pedido de desculpas geral. Não há como se desculpar de algo natural, não há como fugir da nossa natureza. Somos humanos meus caros, e enquanto você aponta um dedo pra alguém, tem três dedos apontando para você.


[ Por L.M. ]

Comments

comments