Sobre as oportunidades que os caras adoram perder

 

Conversando com uma amiga ela me contou que ficou solteira recentemente. E eu sem pensar duas vezes disse “Então você está me dizendo que a garota mais incrível, linda e interessante dessa cidade está solteira e livre novamente?”.

Foi uma brincadeira, uma forma de fazê-la ver o lado bom da vida. Ela sorriu, disse “só você mesmo pra dizer uma coisa dessas”.  E apesar da descontração momentânea, eu sei que quase 5 anos de relacionamento não vão sair com um elogio. Sei que a minha amiga, a garota que eu gosto de ver sorrindo, não vai se curar fácil dessa.

Mas eu sei também que a cura é um processo muito parecido com a construção de uma casa. Primeiro projetamos objetivos, depois preparamos o terreno e em seguida colocamos os alicerces – no caso da cura, esse alicerce pode ser sua família, seus filhos, as pessoas que se importam com você e até você mesma – para enfim,  bloco a bloco, erguer as paredes sólidas de uma nova e reestruturada vida.

Essa garota que hoje chora, um dia vai sorrir. Um dia ela vai passar na frente do ex, e estará tão linda e realizada, que ele vai se arrepender de ter tido dúvidas sobre ela ser a mulher da vida dele. E agora eu falo de modo geral, porque isso serve para tantas amigas que vejo sofrendo por babacas fúteis, interessados em mulheres-fruta, acéfalas e maquiadas.

Um dia você vai mostrar pra ele e pra todos os outros, que até os seus defeitos são ímpares e singulares. Vai mostrar que suas qualidades são difíceis de encontrar por aí, e vai fazê-lo, mesmo sem querer, provar do gosto amargo de não ter VOCÊ ao lado dele.

Um dia, minha amiga, esse e todos os outros caras que agiram como babacas diante de você, irão ver a merda que fizeram. E nesse dia você não vai precisar de absolutamente nada que venha deles, e vai perceber que você se basta. E então vai encontrar um cara digno do teu respeito, seu carinho e principalmente – do seu amor.


 

[L.M.]

Comments

comments