Respeita a moça, ela é de humanas

Vou te explicar umas coisas sobre as moças de humanas. Explicar coisas que todos os matemáticos do mundo jamais conseguiriam colocar em fórmulas. Acredite em mim, todos devem ter tentado.

A moça é de humanas. Ponto. Na real esse primeiro ponto é só o começo e talvez ela comece a divagar sobre a perspectiva dos pontos entre uma e outra palavra dita no começo, no meio e no fim. Mesmo sabendo que o fim é só o começo.

Ela é de humanas e talvez não preste atenção o tempo todo no que você fala, porque no mesmo instante que você começou sua frase, ela viu uma nuvem que parece um camundongo com uma coroa de rei espanhol. Ou talvez algo menos ilusório, apenas a profundidade de uma cena entre um pedestre e um pedinte. Menos ilusório, mas tão profundo quanto. Respeite.

Respeite e entenda quando ela parar de falar para sentir o cheiro de chuva que vem vindo, ou ouvir o barulho das gotas nos fios da rua, nas folhas das árvores ou tudo isso junto.

Ela é de humanas e talvez isso seja muito diferente do que você está acostumado. Mas ela vai te mostrar um mundo em que dois mais dois são cinco. Cinco diferentes argumentos sobre como as pessoas perdem tempo calculando enquanto poderiam estar pensando no quanto a vida é curta, rasa, efêmera.

Ela é de humanas e vai demorar uns segundos quando você perguntar que horas são. Ela tem dificuldades com números. Datas? “Que dia é hoje mesmo?” Frase típica de pessoas de humanas. HUMANAS. Ela vai pensar em qualidades, não em quantidades. Lembre-se disso quando for abrir a boca perto de uma garota assim. Não importa a quantos graus a água congela. Importa quando é que a cerveja estará gelada.

Mas não se engane. Não saber fazer contas não é um contra. Ela pode não lembrar o ano de morte de Getúlio Vargas, mas talvez ela saiba exatamente que lado da cama ele estava sentado quando deu o tiro, e certamente saberá qual foi a frase de maior impacto dita por ele na carta suicida.

Mas essa até que foi fácil vai? “Saio da vida para entrar na história”.  Quem não sabe isso? Bom me desculpe a intimidade com o assunto e a falta de tato com os números.

Acontece que… sou de humanas.


 

[Luciana Meningue]

Comments

comments