Poderia ser diferente

Acredita que eu não li nenhum livro do Mia Couto? Fiz uma lista de livros que quero comprar e ele está no topo. Sem contar os que me esperam na escrivaninha. Uma pilha. Eu poderia estar lendo nesse momento, mas estou aqui pensando em você. As letras se embaralham e o parágrafo perde o sentido. Minha concentração não é a mesma desde que você se foi.

Eu poderia testar a receita que vi no programa de tv. Mas ainda não acho graça em cozinhar apenas para uma pessoa. Eu poderia assistir aquele filme francês, ou mesmo os indicados ao Oscar desse ano (sim, estou atrasada), mas até a sétima arte já não me distrai como antes.

Eu poderia me divertir na balada. Mas acontece que meus olhos não param e ficam em busca dos seus. E quando finalmente te vejo, eu poderia conversar com você, fingir que está tudo bem. Mas isso não é verdade, então simplesmente me calo e apenas aceno.

Eu poderia conhecer outra pessoa, alguém que realmente gostasse de mim. Mas o problema é que no momento não acho ninguém interessante, e sempre arrumo um defeito, uma desculpa.

Eu poderia dizer que estou ótima, que você ter saído da minha vida foi a melhor coisa que me aconteceu, um alívio, afinal, não temos nada a ver. Eu poderia repetir esse discurso todos os dias, mas seria mentira.

Eu poderia me concentrar na ioga, mas na hora da meditação fico pensando o que você deve estar fazendo. Eu poderia fugir, deixar de conversar com seus amigos, deixar de querer saber da sua vida, mas ainda sim você estaria comigo.

Eu poderia apagar o numero do seu telefone, rasgar as nossas fotos, esquecer o caminho pra sua casa, mas de nada adiantaria. Que fase a minha: eu só consigo pensar em você.


[M.B.]

 

Comments

comments