Pelo direito de ser eu mesma

Untitled-1

 

De uns três anos para cá eu resolvi viver uma vida um pouco mais saudável. De doida por cervejas e doces e bares e petiscos e guloseimas, passei para uma vida de malhação, academia, acordar cedo aos domingos para correr no parque, bolos proteicos, sucos detox e por aí vai. Além disso, sou vegetariana.

Até antes da moda das musas fitness e do Whey Protein como artigos obrigatórios para quem curte esportes, eu já estava lá, treinando e cumprindo metas.

No entanto, com uma vida boêmia que sempre tive, adquiri incríveis e queridos amigos, colegas e conhecidos tão baladeiros e boêmios quanto eu era. O problema disso é que, quando vou ao bar, quero tomar meu suco de açaí ou de limão sem açúcar e não beber a cerveja (não me levem a mal, adoro cerveja), não é todo mundo que aceita e fica tranquilo com minhas opções, alguns criticam, alguns se incomodam quando dá meia noite e estou querendo ir dormir porque quero acordar cedo e treinar no dia seguinte.

Este texto vem pelo direito a ser como eu quero ser, e não como os outros querem que eu seja. Se eu não dou palpite no que comem, bebem e na hora que acordam, porque há pessoas que não respeitam minhas decisões e hábitos pessoais? Meus passatempos e diversões de final de semana?

Garanto a vocês que estes que não me compreendem não são os amigos mais chegados, que respeitam e se divertem com meus novos hábitos. Alguns até já entraram pro time das corridas, academias e alimentação saudável.

Já ouvi no bar alguns “aaaah eu não acredito que você não vai beber com a genteeee”, sendo que eu estou lá, estou bebendo com todo mundo, mas é um suco ou uma água. Ou “poxa, mas você tinha que ser vegetariana? O que você vai comer?”. Sendo que eu posso comer qualquer coisa! Eu só vou me certificar de que não haja carne no meio.

Usei no texto apenas um exemplo de algo que é um choque, um contraste, ainda para muita gente. Mas quero poder ser o que eu tiver vontade, fazer o que eu bem entender, sem tantas críticas e cismas. Sem tanto radicalismo, porque eu mesma não sou radical, aceito a opinião dos demais e as respeito, só não gosto de implicância!

Quero defender também o direito de VOCÊ, leitor, também ser como você acha melhor! Se você é boêmio e toma chopp a noite toda e está feliz assim, eu então também estou feliz com você e por você, e vou tomar meu açaí ao seu lado! E de vez em quando até tomo uma caipirinha e uma cerveja sim, quando me der vontade. Tá afim? Só chamar!


[N.D.]

 

Comments

comments