O medo de te perder foi embora quando o Sol nasceu

Eu acordei do lado avesso na cama hoje. Parecia que um furacão havia dormido ao meu lado. Eu era uma praia devastada por um Tsunami. Todo errado e atravessado por uma sensação diferente.

Meu hálito tinha gosto de cerveja com beijo. Não era ressaca não, eu sabia que havia maneirado na coisa toda. Era uma sensação boa. Como quando a gente faz uma coisa legal na noite anterior e sorri antes mesmo de abrir os olhos pela manhã. E acho que foi isso mesmo que eu fiz antes de me mexer.

Dentro da minha cabeça a memória do seu sorriso largo, feliz por estar comigo. Segura e feliz e comigo. E você esta na minha mente. O mesmo sorriso e o cheiro que não saiu da minha pele.

Fiquei lembrando de você pulando no meu colo empolgada pra contar alguma coisa sem sentido mas que me fez gargalhar. E lembrei, muito rapidamente, das vezes que não te vi sorrir. E decidi que definitivamente sua alegria me faz querer ser um cara melhor.

Interessante como o sono é capaz de apagar nossos sentidos não é?

Fiquei na cama tentando me lembrar de cada detalhe da noite anterior, morrendo de saudade já. Fiquei ali sonhando meio dormindo meio acordado e não me dei conta de que você me olhava de soslaio com cara de sapeca, sentada no sofá, vestindo minha camisa e trocando de canal na TV.

Não era um furacão. O tornado da noite anterior era você sacudindo meus sonhos de fora pra dentro.

Era você desde sempre. Sempre foi você.

Eu é que estava sonolento demais pra perceber antes.


 

[J.S.]

Comments

comments