Não confunda amor próprio com orgulho ou auto-afirmação

As pessoas tem mania de passar por cima das outras e ainda dizer que é amor próprio. Ou ficar falando de si o tempo todo e dizer que isso é apenas uma demonstração de que se ama. Não sou PhD em nada disso, mas vamos tentar distinguir as coisas.

Amor próprio – é quando você não precisa do outro pra ser completo e feliz. É quando você entende que vale a pena se esforçar pela sua realização e fazer o bem é natural. É quando você não precisa da opinião do outro para se sentir bem, mas sabe receber uma crítica de forma construtiva, sem dramas.

Orgulho – É quando você não dá o braço a torcer. Você nunca está errado, nunca faz nada errado. E mesmo que faça a culpa foi do outro que te levou a cometer tal erro. O orgulho é a pedra de tropeço mais comum e que mais derruba relações pelo mundo afora.

Auto-afirmação – É, na minha opinião, a forma mais escrota e decadente de se mostrar ao mundo. É aquele tipo de sujeito que sempre o dele é melhor, ou o que acontece com ele é mais importante ou mais intenso. É o pior dos tópicos porque o sujeito chega a diminuir os colegas para se auto afirmar como o bom da coisa toda. Enquanto tudo o que ele é, é um tremendo babaca.

Agora que entendemos isso, vale essa reflexão sobre como temos agido. E faço aqui uma confissão de culpa, sempre tentando melhorar a forma como estou me apresentando diante dos outros, não porque preciso da aprovação, mas porque estamos aqui para evoluir, para ser cada dia mais altruístas e menos egoístas.

Repense.


[L.M.]

Comments

comments