Nada acontece por acaso, a vida é a beleza do caos

É certo que, de tempos em tempos a vida tem esse hábito de nos derrubar. Costumo dizer que essas nossas eventuais quedas são as formas que a vida encontrou de ajustar nossa sintonia e nos colocar no “caminho” novamente. Seja lá o que isso queira dizer.

Não são nossos melhores momentos, é óbvio. São processos dolorosos e bem chatinhos e, cá entre nós, ninguém gosta muito de passar por eles, mas são processos necessários de crescimento. Na Índia, são ensinadas quatro principais leis da espiritualidade. Leis que ajudam a compreender estes – e outros – acontecimentos.

A primeira lei diz: “A pessoa que vem é a pessoa certa.”

É simples. Nada acontece por acaso. As pessoas entram (e saem) das nossas vidas de maneira arquitetada. Para nos ensinar exatamente aquilo que precisamos aprender, na exata medida e da forma na qual precisamos aprender. Seja este processo doloroso ou não.

A segunda lei diz: “Aconteceu a única coisa que poderia ter acontecido.”

Mais uma vez: Nada acontece por acaso. Sabe aquele monte de “E SE” que colocamos na nossa mente? Aquela masturbação mental que fazemos diariamente, insistindo em pensar que as coisas poderiam ter sido diferentes se tivéssemos feito ou deixado de fazer alguma coisa? Então, os hindus não acreditam nisso. Eles acreditam que todos os eventos acontecem exatamente quando e da forma que deveriam acontecer, isso faz com que as circunstâncias sejam perfeitas para as futuras etapas da vida. Para aprendermos a evoluir e seguir em frente.

A terceira lei diz: “Toda vez que você iniciar é o momento certo.

Nada acontece por acaso. Eu já falei isso? Não há momento melhor para alguma coisa começar do que o momento em que ela realmente começou. É no momento em que estamos prontos para iniciar algo que algo novo acontece. Sua energia, sua motivação e as circunstancias te levam até um novo início.

A quarta, e última, lei diz: “Quando algo termina, termina.

Nada acontece por acaso. Será que estou ficando repetitiva? Da mesma forma em que os começos acontecem no momento em que deveriam acontecer, os fins também acontecem. Quer coisa mais simples? É necessário encerrar ciclos, e eles se encerram, exatamente quando devem se encerrar. Esta é a lei mais difícil de compreender, já que encerrar ciclos é extremamente difícil, mas só podemos iniciar algo encerrando aquilo que não nos serve mais.

O que é pra ser, acontece independente se queremos ou não, mesmo quando lutamos com tudo que temos para impedir. Quando algo precisa entrar e fincar o pé na nossa vida, não tem reza braba que impeça. Quando algo precisa sair, não existe absolutamente nada que possa ser feito para evitar, não adianta se agarrar a isso.

Não se engane! A vida dá um jeito de trazer exatamente aquilo que precisamos, na medida em que precisamos e isso nem sempre é a mesma coisa que queremos. Para ser sincera, na maioria das vezes, não é.

Não adianta nos cercarmos de falsas seguranças, certezas, equações, horóscopo, mapa astral. Não temos como controlar a vida, tampouco podemos prever os resultados. E ainda bem que não podemos, né?!

A vida é a beleza do caos e, lembre-se, NADA ACONTECE POR ACASO.

[A.P.]

 

Comments

comments