Me diz como não cair em tentação

 

Não toque meu rosto, por favor. Cada vez que você encosta em mim eu não tenho mais certeza de nada. Sinto meu corpo ficar cada vez mais suscetível e, Deus, como a vulnerabilidade me cai bem diante das suas mãos.

Não olha nos meus olhos como quem vai me despir em pensamento. Eu sinto os pelos do meu braço entrarem em conflitos sobre quem se levanta primeiro – a pele ou o arrepio.

Não, nem pense em falar perto do meu ouvido. Você tem aquele jeito de seduzir que me faz querer correr uma maratona de quilômetros pra longe e pra perto de você, simultaneamente. E isso também me deixa nervosa.

Manipulador, você parece brincar com minhas reações, como se cada uma delas fosse exatamente como você esperava. E eu fico feito brinquedo nas tuas mãos. Até quando disfarça, você faz de um jeito que me faz querer desmaiar de desejos múltiplos.

E as pessoas que nos veem por aí, conversando e sorrindo pelos bares da vida, não fazem a mínima ideia da arma mortal que há nos teus olhos quando você atenta e mira-os na direção de alguém. O pior de tudo é que, no momento, esse alguém sou eu. Morta e entregue aos seus caprichos.

Seu toque, seus olhos, sua voz e porque não dizer? Seu cheiro, que me inebria e embriaga em apenas um tomar de fôlegos. Qual a graça, me diz? E pare de sorrir, porque cada vez que você distribui esse sorriso largo e fácil, eu sinto o chão romper debaixo dos meus pés. Porque quero seu sorriso só pra mim, porque quero suas mãos e seu cheiro atrelados ao meu corpo e de mais ninguém.

Porque ninguém mais conseguiria saborear seus beijos como eu sou capaz. Porque nenhuma outra enxergaria quem você realmente é por baixo desse teu charme de comercial de café. Porque mulher nenhuma no mundo saberia apreciar cada detalhe seu como eu faço.

Então me diz, como não me entregar? Como recusar qualquer coisa que venha de você, quando tudo o que meu corpo consegue é se jogar nos teus braços cada vez que você atravessa o ambiente sorrindo e abrindo os braços na minha direção.

Como, me diz como então não pecar?


 

[L.M.]

Comments

comments