Levanta menina! A vida é maior do que você pode enxergar agora.

Durante muito tempo eu me apaixonei de peito aberto. Acreditava que se eu fosse tudo o que eu sentia, ia ser o suficiente para a outra pessoa. Nunca era. Você não pode ser o suficiente pra alguém e deixar faltar pra você.

Eu sempre acreditei que se fizesse alguém feliz, estaria sendo feliz também. Não fui. No fim era vazio e solidão à dois.

Chega uma hora na nossa vida, que é necessário tomar decisões. Perdoar o passado, sacudir a poeira do corpo estático, arrumar o cabelo e entender que daqui pra frente você vai ter que seguir sozinho. Nunca é fácil. Dá uma azia que parece gastrite nervosa. Mas a vida é ácida. Dê o primeiro passo.

Eu não entendo quase nada sobre relacionamentos. Sobre amor. E acho que atualmente eu nem acredito muito em alma gêmea. Mas eu acredito em evolução, amadurecimento e paz. E no fim das contas, tudo o que a gente precisa pra viver bem é ter paz.

“Todo mundo tem uma pessoa que vai encontrar na vida, aquela que você sempre esperou” – alguém me disse dia desses. “Sou ímpar. Não nasci para encontrar nada. Apenas para resolver o que é necessário para me tornar alguém melhor” – respondi, quase sem pensar.

Encarar a vida de peito aberto, é mais do que esperar o amor em cada esquina. É quase um treinamento diário, tentando fugir de flechas que o cupido insiste em tentar acertar o tempo todo.

Chega de procurar no outro o que sempre esteve dentro de você. Levanta menina. Levanta e vai viver. Amor é só uma das peças, não o objetivo final do jogo.


[L.M.]

Comments

comments