Inseguranças

“Deixe-me dar alguns conselhos, bastardo. Nunca esqueça o que você é. O resto do mundo nunca se esquecerá. Use isso como uma armadura e isso nunca poderá ser usado para machucar você.”TyrionLannister – Game ofThrones

Se você já passou por algum trauma com certeza criou muralhas e proteções. Criou também pré-conceitos, ideias e visões de mundo. Cada dia coletamos peças para montar o grande cenário em que vivemos e estas peças vem de nossas experiências.

Acredito que por isso a infância deve ter um papel tão relevante na psicologia. É quando juntamos nossas primeiras peças, a base do nosso quebra-cabeças.

Qual é o seu vazio? Qual a sua rachadura na muralha? Seu calcanhar de Aquiles? O que te machuca mais que tudo? A sua ferida exposta? Ela é aguda ou crônica? Qual o tamanho e a profundidade da sua cicatriz emocional?

O ser humano é complexo, é um conjunto de pecinhas que se somam e se multiplicam diariamente. Quem eu era ontem, já não sou hoje e certamente não serei amanhã. Meus objetivos mudam porque conheci o diferente, conheci mais, sou mais.

Fernanda Young disse algo pelas linhas de “Quero muitas coisas simples e por isso pareço complexa”. Conhecer as pessoas é fascinante e reforçar que tudo tem um porquê de ser.

Quando alguém mostra alguma face ou toma um atitude que não concordamos ou não estamos acostumados a ver, pode ser que cause estranhamento e que não faça sentido o porquê desse alguém agir assim. É tão diferente do que eu considero correto! É tão diferente de mim! Mas isto de nada vai agregar se não buscarmos mais informações, se você não demonstrar genuíno interesse no outro.

O que um não entende no outro o fascina ou intriga. Uma descoberta do que aparentemente parece tão distante pode simplesmente ser a mesma peça que você tem só em outra posição ou em outra combinação. No fundo não somos tão diferentes assim, e podemos aprender e crescer com isso.

Entretanto, algumas destas peças podem nos trazer medos e inseguranças. Juntando-se aos pré-conceitos criados temos uma salada para julgarmos e colocarmos as pessoas em caixinhas e grupos que, de forma alguma se conectariam conosco. Tudo muda quando damos a abertura para conhecer o outro. Fazemos perguntas sobre quem são e quais são suas motivações. Qual é a sua cicatriz? Descobrimos assim que…

…Todos temos inseguranças e todos somos humanos, as variáveis são onde elas estão escondidas e como são demonstradas

O que preenche as suas inseguranças e como você quer preenche-las? Como você quer protegê-las? Vai usá-las como armadura? Vai esconder da humanidade? Vai lutar para se provar? Vai aceitar pacificamente? Seja você, isso vai fascinar alguém e demonstre interesse pela armadura e a valorize pois você sabe o peso de carregar a sua.

[M.R.]

Comments

comments