Histórias de amor que não aconteceram mas não acabaram

Qual foi o último motivo? Bom porque toda vez que a gente tentou ficar junto você tinha um motivo pra pular fora. Pra sumir uns dias e voltar dizendo que não dava pra ficar comigo. Das últimas vezes você nem fez muita questão de explicar, era apenas um sumiço fingindo que nada aconteceu.

Eu não tenho paciência pra isso, você sabe bem. E sempre te jogo pra longe, saio fora e digo que não dá mais. E tento seguir em frente sabe? A gente fica uns meses longe, eu me refaço e encontro alguém legal. O que você faz? Volta! Volta como uma assombração. Volta como um presente. Não sei explicar, você apenas volta e bagunça tudo. Como aquela nossa música… “Você me bagunça e tumultua tudo em mim”.

O que fode a vida é que mesmo quando eu te imploro pra fechar a porta e sumir, pra que eu possa refazer minha vida e seguir em frente, de alguma maneira quem segura a porta entreaberta sou eu. Parece karma. Parece algo do qual jamais consigo me desvencilhar.

Eu não consigo fechar a porta, atravessar a rua, passar de fase. Eu não consigo terminar esse capítulo. Porque você não me parece um maldito capítulo. Você me parece uma personagem insuportável, que me persegue página por página. E às vezes parece que só vai acabar quando o livro terminar e o protagonista morrer. Sempre morre. Espero que junto com isso morra você dentro de mim. Esse amor maldito. Esse karma de ter que viver pela metade seja com ou sem você.

Um dia, que não vai demorar, eu vou deixar você sair de mim. Pra sempre. E não haverá motivo no mundo que justifique ou me faça voltar atrás.

 


 

 

[L.M.]

Comments

comments