Estou de mudanças, saio amanhã do seu coração

Desfiz-me das certezas, me despi das mágoas, dos ressentimentos, calei o caos aqui de dentro.
Joguei fora as dúvidas, troquei as razões de lugar, arrumei tão arrumadinho que nem me lembro onde guardei.
Recolhi toda a minha bagunça.

Estou de malas prontas, minhas memórias coloquei em caixas, os seus toques enrolei com muito carinho em plástico-bolha, meus arrepios foram junto, cada beijo coloquei dentro de um frasco com o rótulo “Amor”. Ajeitei tudo certinho.
Não deixei meias-vontades, meias-verdades, segundas intenções, pretensões, nada. Esgotei!
Mudo-me amanhã do seu coração e não deixo nada para trás. Não consigo mais ficar aqui, não vejo motivos para isso!

Levo comigo tudo o que foi bom. Aquilo que foi ruim, coloquei num caminhão e mandei entregar bem longe, longe o suficiente pra gente não encontrar mais.

Mudo-me sem aviso prévio.
Este lugar não é mais meu e quanto mais tempo você insiste em me deixar aí, mais desajeitado deixo o lugar.

Gostaria de dizer que deixei tudo arrumadinho, mas acho que, assim que eu sair, seu coração vai precisar de uma boa reforma.
Tem alguns cantos que eu quebrei com o passar do tempo, umas sujeiras que não limpei da sacada, umas manchas que não saíram das paredes.
Acho que foi tudo por mau uso, mas olha, não foi de propósito, viu?!

Esse coração foi o lugar mais gostoso que morei!
Esse coração assim, meio durão, meio assustado, um pouco gelado, foi o melhor lugar que eu poderia ter morado. Lembro-me bem de como ele estava fechado quando o vi pela primeira vez…
Mas sou insistente, não é?! Quando quero, quero mesmo! E tudo que eu queria era passar o resto da minha vida ao seu lado! Tenho mesmo esse jeitinho de ir entrando, me espremendo, me ajeitando, entrando em cantinhos até ganhar um espaço pra chamar de meu!

A verdade é que, quando pedi pra entrar, não imaginei que seria dessa forma. Que terminaríamos assim. Não era pra ser desse jeito!
Acho que a vida foi acontecendo, o destino desistindo de nós, e nós, meu amor, fomos nos abalando por qualquer coisa. Nossa música parou de tocar, perdemos o ritmo e passamos a dançar descompassadas. Meu coração foi crescendo demais dentro do seu, te machucando a cada batida fora de ritmo.

Não era assim que nenhuma de nós queria que acontecesse, mas foi assim que aconteceu. Agora é minha vez de sair e deixar a casa bagunçada pra outro alguém arrumar!

Poderia dizer que carrego comigo tudo que um dia coloquei aí dentro, mas existem coisas que, por mais que eu tente, não consigo levar, coisas que não dão para apagar, memórias que sou incapaz de fazer esquecer, lembranças que ficaram grudadas nas paredes do coração. Eu sei, ficaram nas paredes do meu, também.

Mudo-me para cicatrizar minhas feridas, você deveria fazer o mesmo!

“Quero é te ver, dando volta no mundo, indo atrás de você.
Tô rezando pra um dia você se encontrar e perceber o que falta em você!”

[A.P.]

Comments

comments