Ela é uma estrela, mas brilha como uma constelação

Ela dorme no ‘travesseiro da NASA’. E mesmo sem nunca ter saído do planeta, parece que vive fora de órbita. A garota viaja mais do que qualquer outro objeto voador, e não me admira deitar seus sonhos em um conforto com esse nome.

Seu jeito, sorriso e atitudes, fazem a gente querer imitar. Querer voar pra longe, transpor as barreiras de velocidade da luz e do som. Já me fez desejar teletransporte! Não é de se espantar que seja capaz de fazer qualquer um se jogar em uma supernova.

Toda garota deveria reconhecer a própria autenticidade. Mas ela se mantém em gravidade zero, feito um astronauta – no melhor estilo Sandra Bullock no meio do nada – ela permanece flutuando entre estrelas, planetas, uma pequena Lua e o meu mundo ao seu dispor. Sério, imagina quando todo mundo perceber que era ela o tempo todo? Ela construía os sonhos enquanto os demais, ao redor dela, apenas acompanhavam. Fiéis e mecânicos aos seus desejos.

“Você parece aquele tipo de personagem que a gente sempre vê nos livros, mas nunca encontra na vida real.” Obviamente ela não acreditou. ‘Deu de ombros’ talvez para esse e muitos outros comentários. Pousou seu repouso e fechou os olhos no tal travesseiro de astronauta, escolheu a ele e recusou meu colo distante e desalinhado. Só por hoje a NASA vai cuidar dos seus pensamentos, e quando ela acordar vai ver o universo aos seus pés, aguardando a próxima viagem espacial.


 

 

[J.S.]

Comments

comments