Um olhar sobre a saudade – É possível evitar?

As vezes as pessoas me perguntam se eu sinto saudades. Bom se tem uma coisa que eu aprendi nos poucos anos que tive chance de entender algo sobre a vida, é de que você pode viver sem um milhão de coisas, mas jamais, em hipótese alguma você vai conseguir fugir da saudade.

A saudade é um sentir falta, mas com um tom meio trágico, um lado obscuro e outro dramático. É sentir falta com o coração. Saudade é a sensação de impotência gritando diante das tuas possibilidades, e um amontoado de respostas sem pergunta. É aquela ausência totalmente sem propósito, que parece ter carregado pra dentro de você um vazio ecoante.

Você pode viver sem paixão a vida toda, se quiser. Pode escolher não amar ninguém (e pode conseguir não amar absolutamente nada, se for um psicopata). E até aí respeito suas escolhas. Você pode não amar as pessoas que passarem pela sua vida, pode não se apegar aos animais, às memórias e aos lugares. Mas um dia, não importa o quão longe você vá ou o quanto evite os sentimentos, um dia você vai sentir saudade.

A saudade é tão inevitável quando a entrada de oxigênio nos pulmões, ou o atrito entre você e o chão. A saudade é tão incontrolável quanto a vontade que você tem de usar o banheiro após 10 litros de água. Você pode segurar e fingir que não está sentindo aquilo dentro de você, mas vai doer.


[  L.M. ]

Comments

comments