Como ela faz isso?

Assim como a Lua, ela é cheia de fases. Talvez tenha muito mais fases que a própria lua, mas em nenhum momento perde o encanto e o brilho de ser a si mesma.

Admiro o dom de poder ser muitas em uma só, de dormir menina e acordar mulher, de transbordar variadas emoções em pequenas frações de tempo, de se vestir com o que quer, de ser quem quiser. Fazendo da vida seu palco sem sessões repetidas, transformando chegadas em novas partidas.

É difícil quem não se encante com essa metamorfose, da mulher que hora ri, hora chora, hora sorri docemente, hora seduz fatalmente. Ela quer conquistar o mundo, mas também ser conquistada… Talvez hoje, ou amanhã, quem sabe?

Uma coisa é certa, rotina não é o ponto forte desta mulher que hoje pode estar aqui, e amanhã onde estará?

[B.C.]

Comments

comments