A arte de não esperar nada em troca

O ser humano é egoísta. E algumas pessoas só irão te procurar por interesse. Fato.

Quando alguém pede um favor, você faz de bom grado. Curte no Facebook aquela página de bolos caseiros que sua tia pediu (mesmo que você seja intolerante à lactose) ou a página de fossa séptica da empresa do seu amigo (apesar de não ter nada a ver com o seu dia a dia).

E por que faz isso? Oras, pra ajudar, pra ver o crescimento profissional das pessoas que fazem parte da sua vida. E também porque não custa nada. É só um clique, um movimento com o indicador e pronto! Você também dá carona pra aquele amigo, empresta roupa pra cunhada, ouve as lamúrias da colega de trabalho. Empenha-se em comprar um presente bem legal pra sua prima. Essa atitude tem nome: gentileza.

Mas e quando chega a sua vez? Meu pai, uma das pessoas mais sábias que conheço, sempre nos ensinou a não pedir favores. O lema dele: “é melhor ajudar que ser ajudado”. E olha que sobre esse assunto ele é PhD. Às vezes eu não conseguia entender porque ele ajudava tantas pessoas, amigos e familiares, muitas das quais nem agradeciam e logo se esqueciam da gentileza. Eu ficava muito brava pela ingratidão alheia, mas durante nossas conversas ele sempre repetia e continua repetindo a frase mágica, algo que quase se tornou um mantra em casa.

Infelizmente nós precisamos de outras pessoas para viver (e conviver) nessa coisa que chamamos de civilização. E aí, quando você pede algo a alguém que já ajudou, achando que este alguém irá lembrar-se do que você fez um dia, a pessoa simplesmente te ignora. De repente ficou com amnésia.

Cristãos, espíritas, budistas e qualquer outra religião dirão que um espírito evoluído leva a vida sem esperar nada em troca. Cá entre nós, uma das coisas mais difíceis. Se for assim, vou precisar voltar mais umas 10 vidas até aprender a virar um ser iluminado! Me desculpem se não tenho sangue de barata e me importo com certas atitudes. Tenho a impressão de que todo mundo quer ser ajudado, quer tirar vantagem de alguma maneira, mas quando chega a hora de retribuir, tem preguiça e se esquece de que ninguém é autossuficiente.

O lado bom é que com o tempo a gente aprende a ser menos bobo. E como diz o clichê, a vida é como uma roda gigante: um dia você está em cima, mas no outro… E você já passou por essa situação? Conta pra gente!


 

[ M.B. ]

Comments

comments