Aquele amor – Conversas de quem tem esperança

“Existe uma palavra em alemão:
lebenslangerschicksalsschatz, e a tradução mais próxima é:
‘O tesouro do destino ao longo da vida’[…] é algo que acontece instantaneamente…
Atravessa você, como a água de um rio depois de uma tempestade…
Preenchendo e esvaziando você ao mesmo tempo. […]
E nós vamos encontrar a nossa lebenslangerschicksalsschatz algum dia?
É claro, eventualmente, todo mundo encontra, só que nunca se sabe onde ou quando.”

A frase acima é um belo texto saído de um episódio de How I Met Your Mother. A série é antiga, mas vou parar por aqui para os que ainda não terminaram de ver. Este pequeno texto demonstra exatamente o que é arriscar.

Tem gente que tem medo de tentar, morre de medo, está velho demais para isso, não se sente pronto, não acha que arriscar vale a pena em um mundo tão cheio de gente ruim. Eu, particularmente, aprendi uma coisa recentemente, num dia que disse à minha terapeuta: “Não quero me envolver agora, quero estar bem antes de me apaixonar, antes de namorar de novo, quero saber agir corretamente e encontrar a pessoa certa”. A resposta que tive foi: “Como você vai saber que está pronta, saber agir corretamente e ainda encontrar a pessoa certa se você não quer tentar? Nada disso cai no colo”.

Outch! Aquele banho de água fria de um caminhão passando na avenida quando você está de sandálias e está 20 graus lá fora. Foi isso que meu corpo sentiu. E daí em diante meu chão e conforto do “não estou pronta, então não vou tentar” sumiu completamente.

E percebi que só vou poder ser feliz e achar o meu tesouro do destino ao longo da vida, que vai me atravessar, me preencher e me esvaziar, tudo ao mesmo tempo, se eu estiver no ondee no quando certos. Se eu sair, me envolver, conhecer pessoas, tentar, errar, arriscar de novo. Me encher de experiências, sejam elas de que espécie forem.

Caso eu não faça nada disso, nunca estarei pronta para encontrar a pessoa certa. Estarei sempre com medo e trancafiada em meus piores sentimentos, num casulo que vai ficando mais e mais fechado, endurecido e que nunca liberará aquela bela borboleta que todos aguardamos. É assim que muita gente cautelosa é. Perde oportunidades e se priva de amores, de confusões gostosas, de carícias maldosas. E pior, perde aquele amor que pode percorrer seu corpo como um rio forte e caudaloso.

Percebi que quero tudo isso e os efeitos colaterais que podem trazer, seja ele um pé na bunda, uma dor de cotovelo, seja um belo de um lebenslangerschicksalsschatz. Espero apenas que meu amor não se demore o tanto que demorei para pronunciar esta palavrinha alemã! Mas se ele se atrasar, tudo bem… Tenho certeza que mesmo assim ele chega, e por isso estou tranquila.


 

[N.D.]

Comments

comments