A hora certa de ficar – para você que está acostumado a partir

Chega uma hora na vida de todo ser humano – e porque não dizer na vida de todo ser vivo que sofra de tendências monogâmicas? – que a gente sente que vai sentar a bunda na cadeira e ficar de vez.

Parece besteira, mas é sério! Uma hora a gente cansa de partir. Cansa de ter que ir embora toda vez que a gola aperta, ou toda vez que o problema fica sério. Tá, você vai dizer que existe gente que nunca vai embora, mas eu vou te responder que dentre os que sempre ‘ficam’, a maioria, na verdade, posterga o ‘partir’.

Em inglês – e não precisa ser poliglota pra saber essa – a menção “ser/estar” é usada pelo mesmo verbo: To Be (lembre-se da sua professorinha repetindo isso por anos seguidos e você não aprendendo nada).

O que eu quero dizer com tudo isso?

O cara é do tipo que sempre tem relacionamentos longos. Ele é, teoricamente, um cara que nunca decide por ir embora? ERRADO. Ele pode ser um cara acomodado que posterga a forma como parte da vida dos outros. Fica por perto uns três ou quatro anos com a garota e logo tudo dá errado e ele vai embora com aquela cara de “eu juro que tentei”, deixando você despedaçada e com um monte de sonhos escorrendo pelos dedos.

Mas que tal encontrar alguém que esteja pronto pra ficar de vez?

Pegar é fácil, difícil mesmo é aguentar o dia a dia do relacionamento a dois, com toda TPM, dor de dente, enxaqueca, companheirismo, histórias e outras coisinhas que só a vida ao longo do tempo pode proporcionar.

Estar com alguém é totalmente diferente de ser aquele alguém que vai ficar de vez. Aturar os familiares, os amigos que vão e vêm, as novidades, os filhos – caso resolvam tê-los – os animais de estimação, a falta de grana, a viagem de feriado, o tempo frio, a roupa pra lavar, o lixo pra tirar e a vida que sempre traz novidades e surpresas.

Resolver ficar não é nada fácil, mas chega uma hora que faz-se necessário. E nessa hora, é bom ter a pessoa certa ao seu lado.


 

[J.S.]

Comments

comments